então. esta coluna aqui é sobre as ligas esportivas americanas e sua proibição de uso de maconha por parte dos jogadores, enquanto o uso de álcool é menos controlado e rende menos suspensões, embora os resultados de seu excesso tenham sido devastadores para ambas as ligas, mas tem um pedaço interessante sobre a origem da proibição da maconha nos Estados Unidos:

‘Em um artigo recente da MSNBC, o escritor Mike Celizic pesquisou e descobriu que a maconha foi ilegalizada nos anos 30 principalmente por causa da retórica ridícula e racista do ex-comissário federal de narcóticos Harry Anslinger, que acreditava que maconha fazia homens negros “pensarem que são tão bons como homens brancos.”

Entre algumas das reclamações de Anslinger:

“Há um total de 100 mil fumantes de maconha nos EUA, e a maioria são crioulos, hispânicos, filipinos e artistas. Sua música satânica, jazz e swing, resultam do uso da maconha. Esta maconha causa que mulheres brancas busquem relações sexuais com crioulos, artistas, e qualquer outro.”

“Maconha leva ao pacifismo e à lavagem cerebral comunista.”

“Você fuma uma ponta e provavelmente matará seu irmão.”

“Maconha é a droga que mais causa violência na história da humanidade.”‘

CA-RA-LHO! agora, sabe o que é pior disso tudo? que essa é provavelmente a retórica que ainda se usa para convencer o povo menos informado que “a droga é o demônio” e “pagar o dízimo é o caminho”. e muita gente ainda acredita em toda essa baboseira

Anúncios